Como construir uma carteira de longo prazo com criptomoedas


Olá, leitores do Aprender sobre Bitcoin! Hoje vou falar um pouco sobre como compor um portfólio de ativos digitais visando a rentabilidade a longo prazo. Para entender direitinho este artigo, sugiro a leitura dos posts abaixo:

Há um tempo atrás, eu fiz um vídeo que falava sobre este tema no meu canal do Youtube. Você pode assistí-lo clicando aqui ou na imagem abaixo.

Como no começo do ano houve uma grande desvalorização do Bitcoin em relação ao final de 2017, o preço da maioria das altcoins também caiu e os investidores ficaram com medo, é claro, ninguém quer perder dinheiro. Por isso, estou fazendo este artigo, para ajudar as pessoas a se organizarem e fazer uma carteira de criptoativos a longo prazo, pois acreditem: o Bitcoin não vai acabar. Este ambiente é o futuro e só vai crescer ao longo do tempo. Vale a pena dar uma olhada neste vídeo que publiquei esses dias: O Bitcoin não vai acabar!

Então vamos lá: hoje em dia, existem muitas e muitas criptomoedas, sendo lançada mais a cada dia. Para não entrar em ciladas, é importante saber que existem algumas regras para investir em criptomoeda de forma segura.

A primeira regra é saber que tipo de investidor você é: um investidor de curto ou de longo prazo. Também é importante saber que investir em criptomoeda pode te deixar milionário, mas oferece riscos de perdas nas mesmas proporções! Então nunca, nunca invista um valor maior do que aquele que você está disposto a perder!

Quem está dentro do universo cripto, sempre vê muita propaganda e informações sobre novas moedas e suas valorizações fantásticas. Com isso, é muito, muito importante tomar cuidado, pois quando abrimos o CoinMarketCap por exemplo, e vemos lá uma valorização de +15% em um ativo, já pensamos que a moeda é promissora. Sinto em dizer que isso pode acontecer por um erro: às vezes, uma única pessoa fez uma ordem de compra de valor altíssimo sem conhecer a moeda, indo apenas por intuição e só por isso, a valorização da moeda pode subir.

Para estar por dentro e evitar perdas ou errar por inocência, todo mundo deve saber que existem 3 tipos diferentes de moedas. Veja abaixo quais são:

1- MOEDAS QUE REALMENTE SÃO MOEDAS

Essas moedas têm única e exclusivamente a função de moeda, ou seja, assumem o papel de moeda para troca de valores. Exemplos: Bitcoin, Litecoin, Dogecoin que são todas derivadas do Bitcoin.

2- MOEDAS COM FUNÇÃO DE PRIVACIDADE

Muito se ouve falar que as transações com Bitcoin são completamente anônimas e não rastreáveis, mas isso não é verdade. Conforme o governo (não só do Brasil, mas os governos no geral) tentam cada vez mais regulamentar o mercado cripto, mais difícil fica se manter no anonimato e irrastreável.

É ai que entram moedas como a Dash, Monero ou a ZCash - entre tantas outras - que possuem a função de privacidade. Ou seja, elas têm a característica de serem de verdade impossíveis de rastrear, nem identificar os donos de cada criptomoeda, assim como as transações.

3- MOEDAS DISTRIBUITED COMPUTER

É onde a maioria das altcoins se encaixam, são estes os tokens. A Ethereum é a mais conhecida dentre todas elas, cujo token é o Ether. Estes tokens não possuem alguma função como anonimato e sim como moeda de troca, entretanto, dentro de cada token há um pouco ou muita inteligência, que é o caso do Ether ou da rede NEO.

A característica do token é possibilitar entrar em uma determinada plataforma e usufruir o que tem nesta plataforma. Porém, muitos tokens não têm inteligência alguma, servindo apenas como mais uma moeda qualquer e é por isso que devemos ter muito cuidado. Para entender mais sobre a diferença entre criptomoeda e token, leia este post: Entendendo token, criptomoeda e ICO.

Para criar uma carteira para investimento a longo prazo, devemos desenhar uma pirâmide. Como base, sendo a maior proporção da carteira, é preciso ter moedas sólidas, com grande capitalização e liquidez no mercado, como o Ethereum e Bitcoin. Claro que não é possível prever como essas moedas estarão daqui a alguns anos, mas no momento, moedas como o ETH e BTC devem compor a base e maior parte da wallet.

A segunda fatia da pirâmide, deve ser composta pelas moedas de privacidade, como as que citamos acima. Não é preciso ser exatamente elas, são apenas exemplos para facilitar este artigo. Pelos motivos que citei sobre os governos tentarem regulamentar o mercado, a procura pela privacidade vai aumentar cada vez mais, tornando o anonimato possível e protegendo os usuários.

No topo da pirâmide, em menor quantidade devem estar os tokens. Isso porque grande parte dos tokens por aí são de projetos que nem saíram do papel. É óbvio que muito possuem grande chance de valorização, mas isso também significa que podem trazer muito risco. Por outro lado, eles podem fazer sua carteira valorizar muito.

Como analisar se um token vale a pena?

É bom analisar alguns pontos, como:

  • Ver se a empresa que está lançando o token realmente existe e se está em operação;

  • Ver se o time por trás da empresa existe, quem está envolvido no projeto;

  • Analisar pra que serve o token, se é só mais uma moeda ou se o token possui alguma inteligência específica que faça algum sentido agora ou que fará no futuro.

  • Pensar se o projeto desta empresa estará de pé daqui a alguns anos ou se as pessoas vão mesmo utilizar a tecnologia;

  • Fazer busca antes de comprar o token, consultando o site e as redes sociais da empresa, como Facebook ou Twitter;

  • Acessar o BitcoinTalk que é um dos melhores lugares para avaliar as empresas que já possuem moeda emitida, pois é muito importante saber se os programadores costumam ir no fórum e falar sobre a moeda e se o time por trás do projeto aparecem para responder às perguntas dos usuários e etc;

  • Faça análise do preço do token, sua liquidez e a evolução disso tudo no gráfico;

  • Ver em quais exchanges estas moedas estão cotadas, pois antes de colocar os tokens na plataforma para negociação, as bolsas já fazem uma análise daquele token. Uma forma fácil de ver onde o token é negociado é no Coinmarketcap. Você pesquisa o token e analisa na aba “Markets”. Por exemplo o Ethereum:

Uma outra forma muito legal de saber se um token vale a pena ou não é se juntando a nós no grupo do Telegam. Lá, estamos sempre conversando sobre novos lançamentos de criptmoedas e tokens. Como temos bastante membros, sempre tem alguém com alguma opinião ou experiência para compartilhar. Clique na imagem para se juntar a nós!

#investirembitcoin

0 visualização