Shivom: a revolução no compartilhamento de genomas


Para esta leitura, sugiro: tire os sapatos, sente-se em um lugar confortável e pegue um copo da sua bebida favorita, pois como se não bastasse ser difícil o suficiente entender sobre a tecnologia blockchain, hoje voltaremos nas aulas de biologia e falaremos sobre genomas e DNA. Então a equação de hoje é:

O projeto da Shivom é bem inusitado, seu objetivo é: permitir que os doadores de dados genômicos cadastrem suas informações na plataforma e tenham total controle de acesso sobre elas. E se o doador optar por compartilhar seus dados, ele recebe recompensas. Louco, né? Bem-vindo à era Blockchain!

Antes de tudo, pra você entender esse post, é preciso saber o que é uma Blockchain, pra depois podermos falar sobre o que é esse projeto da Shivom. Bem, veja que atualmente, os doadores de dados genéticos são apenas “doadores” e não “vendedores”. Entretanto, a empresa que guarda todas as informações do genoma de seus doadores, ficou milionária! Sabe por quê? Porque essa informação é útil para diversas indústrias farmacêuticas, químicas, para o setor de biotecnologia, para pesquisas e instituições na área da saúde. E o doador sequer recebe uma participação no lucro disso. A Shivom quer aproximar o doador do pesquisador, usando a facilidade oferecida pela tecnologia Blockchain. Em outras palavras, podemos dizer que você pode ganhar dinheiro com seu DNA!

Como o projeto irá funcionar?

O projeto é desenhado para funcionar mais ou menos assim:

1. O paciente é dono das informações de seu próprio DNA;

2. Essas informações são encriptadas pela segurança da plataforma Shivom;

3. Será possível ver que há a informação de um novo usuário e genoma na rede, porém, as pessoas só conseguirão fazer a leitura à partir de uma chave privada, que "abre" a informação, que funciona como uma espécie de senha. A chave privada, apenas o detentor do genoma consegue abrir, sendo um segredo total para os outros usuários;

4. Se o doador quiser compartilhar as informações de seu DNA com pesquisadores e outros usuários na rede, contribuindo para a ciência e para a produção de medicamentos mais eficazes, ele pode monetizar a informação. Além disso, o doador é que decide se irá compartilhar suas informações com uma ou mais pessoas e organizações.

“Mas Pedro, o que é um genoma?”

O genoma é a sequência inteira do nosso DNA, então dentro de um genoma, há todas as informações e genes do nosso corpo. Essa informação é muito importante para pesquisas na área médica e da saúde. Através de diferentes genomas, é possível fazer medicamentos com alta precisão, fazer estudos de prevenção de doenças, inovações na indústria de biotecnologia, entre outros. É por isso que criar uma plataforma onde possamos unir os doadores de diversos genomas diferentes com os pesquisadores, se torna um avanço para as próximas gerações.

“Tá e como é que eu vou compartilhar meu DNA em uma blockchain?”

Através de terceiros. O doador fará o teste e enviará para outros sites parceiros, como o 23andme ou o ancestry.com, que possuem toda a informação necessária para fazer o estudo. De lá, os dados serão migrados para a Shivom, que cuidará de todo o resto. Eventualmente, será possível solicitar um kit de DNA diretamente pela Shivom, que será analisado pelo grupo ou por laboratórios parceiros.

O que são os tokens OmiX?

O token OmiX será a moeda dentro da plataforma da Shivom. Dessa forma, quem quiser comprar as informações sobre seu genoma, poderá fazer o pagamento em OmiX. Além disso, a Shivom vai gerar receita através das empresas e indústrias de biotecnologia, farmacêuticas e afins, que querem coletar dados para otimizar e criar medicamentos e tecnologias.

Já os doadores, que fornecem essas informações, podem solicitar respostas baseadas em seus genomas e ainda comprar na própria plataforma da Shivom, aplicativos de assistência médica, tudo pagando em OmiX.

Como os tokens OmiX podem ser obtidos?

Existem 3,3 bilhões de OmiX já criados e não serão criados mais tokens para a rede, ou seja, não tem como minerar OmiX - veja o que é mineração clicando aqui. Então a melhor forma para obter os tokens é através da atual ICO (a pré venda acaba no dia 26/04/18). Ou, quando a ICO acabar, você pode comprar nas exchanges já listadas no site da Shivom, como a HitBTC ou na Coinomi mesmo, que sei que é uma wallet, mas você tem um serviço de câmbio dentro dela, através da ShapeShift, o que é uma boa notícia, pois os tokens serão compatíveis com esta carteira multi moeda. Entretanto, dentro da plataforma Shivom, existe uma wallet onde os usuários poderão armazenar os tokens.

Uma das melhores notícias é que a Shivom não cobra taxas de transações. Porém, podem ser cobradas taxas de terceiros, por exemplo, se você compra OmiX com Bitcoin ou Ethereum, provavelmente você pagará taxas por fazer uma transferência em BTC ou ETH, pois essas redes cobram as famosas “fees”.

A Shivom é confiável?

É um projeto fantástico! Já gostei de um detalhe na Shivom: eles querem atingir as pessoas do mundo todo e para isso, já possuem diversos documentos em outros idiomas, com a contribuição de sua comunidade. Eu acredito nisso: não me venham dizer que são globais se estiverem em um só idioma, sem pretensão de tradução para diversas línguas.

Não me admira que a Shivom tenha tantos seguidores. É um projeto muito bem bolado, muito bem pensado e parece estar em um bom andamento.

Se o projeto vai dar certo e seus investidores obterão bons lucros, não sabemos. É impossível afirmar qualquer coisa para amanhã, daqui um ano ou daqui 5 anos. Mas pessoalmente, como Pedro Borges, eu serei mais um seguidor deste projeto.

Este post foi feito especialmente para o pessoal do grupo do Telegram, que sempre estão fazendo perguntas e debatendo diversos temas sobre o mundo cripto. Acho interessante saberem que é possível criar todo o tipo de coisa com a Blockchain, mesmo as mais humanas possíveis, como uma plataforma para genomas!

Você seria um doador de dados do seu DNA na Shivom? Conte para nós lá no Telegram!

#Blockchain

51 visualizações

Escolha a forma de pagamento mais conveniente e clique no botão.