Você já ouviu falar sobre o cemitério de criptomoedas? Saiba o que é isso e o porquê dele estar cres

Atualizado: 31 de Dez de 2019


Quem me acompanha lá no grupo do Telegram com certeza já me viu falar sobre “shitcoins”. As shitcoins são aquelas moedas criadas sem funcionalidade alguma, que acabam sendo apenas mais uma moeda de troca, nada inédito. Aliás, posso dizer que essas shitcoins só atuam como forma de pagamento devido a algum volume que possa existir nas exchanges, pois comprar mesmo, as shitcoins não compram nada. Mas, você já parou para pensar pra onde vão todas essas moedas e tokens emitidos que não valem mais nada? Elas vão para o cemitério de criptomoedas!

Quais moedas vão para o cemitério?

Engana-se quem acredita que apenas as moedas lixo e scam vão para o cemitério. Tem muito Bitcoin e altcoins fortes esquecidas no espaço cibernético também, todas juntas no mesmo cemitério que as shitcoins. E sabe por que isso acontece? Porque as pessoas conseguem perder o acesso a suas wallets ou simplesmente abrem mão de suas criptomoedas por achar que elas nunca valerão algo significante. Se você não sabe o que é esse negócio de wallet, veja os artigos abaixos:

Vamos dar o exemplo das moedas “forkadas”, aquelas que são lançadas à partir de um fork de criptomoeda (veja o que é isso aqui). Claro que muitas delas não possuem tanto sucesso quanto o projeto original, tendo seu preço e volume de transações reduzidos a zero, o que faz com que essas moedas fiquem esquecidas em endereços que jamais serão acessados novamente, ou seja, no cemitério. Entretanto, as pessoas devem ter mais carinho ao receber esse tipo de moeda, pois o Bitcoin Cash, por exemplo, é uma moeda forkada do Bitcoin e hoje ocupa o 4° lugar na capitalização de mercado e 1 única moeda está valendo cerca de R$ 3 mil.

Qual a relação das wallets com o cemitério?

Vamos supor que você tem uma carteira na Coinomi, que aceita diversos ativos num único lugar. O app da Coinomi fornece uma “seed” para recuperar a carteira caso você troque o smartphone ou o perca. Além disso, para cada criptomoeda, você tem acesso a uma chave pública e uma privada, que você pode usar também para ter acesso à sua fortuna. Se você não anotar a seed do backup ou suas chaves privadas em um local seguro, você pode perder o acesso à sua wallet e nunca mais recuperar seus ativos. E para onde eles vão? Pra lugar nenhum, oras. Vão ficar no cemitério até que você consiga acessar seus dados novamente e resgatar os pobrezinhos do limbo.

É por isso que eu sempre falo: quando forem criar uma carteira de criptomoedas, anote a seed, frases de backup e tudo o que for necessário para acessar sua wallet. E não anotem em rede compartilhada, apps ou qualquer outro lugar que tenha acesso à Internet, como bloco de notas, e-mail, Google Docs, etc. Tem que ser na folha de papel, guardando bem guardado assim como as escrituras de um imóvel.

Mas muita gente perde o acesso à suas wallets?

Sim! O cemitério de criptomoeda não para de crescer, pois cada vez mais, as pessoas têm perdido seus ativos. E isso não tem nada a ver com roubo, pois quem rouba as suas moedas, provavelmente irá utilizá-las para algum fim. Existe um caso super famoso que se você não tava sabendo, vai descobrir agora: o inglês James Howells que perdeu cerca de 7500 Bitcoins.

James Howells é um profissional da área de T.I. e um grande fanático por Bitcoin. Há muito tempo, desde 2009, Howells começou a fazer a mineração de Bitcoins. Na época, não havia volume de transação em exchanges, a única forma de obter a moeda virtual era através de mineração e peer-to-peer, ou seja, comprando diretamente de uma pessoa.

Em 2009 no entanto, o Bitcoin não tinha valor algum, só em 2010 é que os volumes começaram a crescer e de menos de US$ 0,9, a moeda foi disparando e bate hoje os US$ 8000. E o que isso tem a ver com James Howells?

Ele minerou cerca de 7500 Bitcoins, mantendo toda sua fortuna em um HD. Entretanto, após um acidente (dizem que ele derrubou suco de limão no computador), ele desmontou o equipamento para vender algumas peças e reutilizar outras, mas claro que manteve seu HD. Em um belo dia de sol, James Howells jogou fora aquele disco rígido que continham seus 7500 BTC minerados. Claro que foi por engano e hoje, a peça está em um aterro em Newport, na Inglaterra, soterrado por muitos anos de lixo sendo jogado todos os dias, enterrando mais ainda o pobre HD. Hoje, sua fortuna está estimada em US$ 60 milhões e Howells é considerado um dos homens mais azarados do mundo! Mas como a esperança é a última que morre, o minerador está tentando a autorização do Governo para escavar o aterro e recuperar seu disco rígido, se não, seus 7500 Bitcoins ficarão no cemitério para sempre! Se você quiser, pode ler uma matéria com partes de uma entrevista de James na BBC News, só que em inglês. Clique aqui para ler.

Levando em consideração a estória que acabei de contar, faça agora mesmo o backup das chaves de suas carteiras e anote a seed ou o que for necessário para conseguir acessar seus ativos virtuais novamente, caso perca seu dispositivo ou esqueça suas senhas. E outra coisa: nunca compre criptomoedas e deixe-as nas exchanges, sempre transfira para o endereço da sua wallet!

O cemitério de criptomoedas está cada dia maior, então não contribua para esse crescimento: faça backups, não crie moedas à toa e não caia em golpes cibernéticos, como o esquema Ponzi ou outras shitcoins. E neste contexto, sugiro a leitura do artigo: Como analisar se uma ICO ou criptomoeda vale a pena. E se você não sabe o que é uma ICO, veja aqui. Hoje, posso dizer que além de tudo isso que foi dito aqui, ainda há a condenação dos tokens ERC-20. A Ethereum é uma rede fantástica, cheia de utilidades e inteligência e devido a isso, está lotada já que a maioria dos tokens e ICOs são lançados através desta plataforma. O problema da Ethereum é que sua capacidade de transações é muito baixa para a demanda de projetos que a utiliza. Isso fará com que muitos outros tokens sejam destruídos, sendo necessária uma migração para a plataforma EOS, Waves ou até para a Cardano no futuro. Embora seja triste, será benéfico para fazer uma “limpeza” nas criptos que não têm utilidade alguma ou naquelas que são um projeto muito fraco. Enquanto isso, temos de aguardar para ver o que ainda vai acontecer e cuidar muito bem das moedas que temos!

Se você tiver alguma dúvida, entre em contato comigo no grupo do Telegram, sempre estou por lá postando umas novidades, dicas e respondendo às perguntas dos leitores do Aprender sobre Bitcoin e qualquer outra altcoin. Junte-se a nós clicando aqui ou na imagem abaixo! ;)

#MortedoBitcoin

0 visualização

CNPJ: 37.932.004/0001-18

Rua Conceição, 233, sala 916. Centro.

Campinas, São Paulo - Brasil

contato@aprendersobrebitcoin.com